Medicamentos Genéricos. Saúde para todos.

Genéricos Balm-Labor. Uma escolha além da embalagem.

Os genéricos são medicamentos cujas patentes já expiraram. Sua produção obedece a rigorosos padrões de controle de qualidade. Por lei, só podem chegar ao consumidor depois de passarem por testes de bioequivalência realizados em seres humanos e equivalência farmacêutica. Graças a estes testes, os genéricos são intercambiáveis. Ou seja, por lei, podem substituir os medicamentos de referência indicados nas prescrições médicas. A troca, quando o médico não prescrever diretamente o genérico, pode ser recomendada pelo farmacêutico responsável, com absoluta segurança para o consumidor.

O programa de medicamentos genéricos foi criado no Brasil em 1999, com a promulgação da Lei 9.787, formulada com o objetivo de implementar uma política consistente de auxílio ao acesso a tratamentos medicamentosos no país. Os critérios técnicos para registro destes medicamentos são semelhantes aos adotados em países como Canadá e EUA, entre outros centros de referência de saúde pública no mundo.

Os genéricos são, oficialmente, no mínimo 35% mais baratos que os de referência, desta forma colabora para que muitos brasileiros encontrem uma alternativa viável e segura para seguir as prescrições médicas corretamente.

No Brasil, a Anvisa já tem registrados genéricos de 337 princípios ativos, totalizando mais de 15.400 apresentações e aproximadamente 100 classes terapêuticas, englobando as patologias que mais acometem a população e grande parte das doenças crônicas de maior prevalência.